Experiência de Solomon Asch

Parte 1
Asch organizou uma experiência em que pedia a um grupo de pessoas A para formar uma impressão sobre uma personagem fictícia, após ouvirem uma lista de características sobre a mesma: «inteligente, habilidoso, laborioso, caloroso, prático, determinado, cauteloso». Outro grupo (B) recebeu a mesma lista de características à excepção da palavra «caloroso» trocada por «frio». Isto fez com que a impressão favorável geral fosse completamente alterada, constatando assim a veracidade da segunda questão proposta por Asch. Um único traço foi o suficiente para alterar a impressão geral (centralidade do traço).Os traços centrais organizam a percepção porque têm um peso informativo importante claro que os periféricos não possuem. No entanto existe uma relação de dependência do contexto, ou seja um traço é periférico ou central dependendo das suas relações contextuais com os outros traços.

Parte 2

Ao grupo A foi dada uma lista encabeçada pela palavra «inteligente», terminando com a palavra «invejoso». Ao grupo B deu a mesma lista com a ordem das palavras inversa e pedido para que escrevessem resumidamente a sua impressão duma pessoa detentora dessas características. Através desta experiência, foi verificada a existência dum efeito de primazia quanto à formação de impressões, pois os sujeitos com a primeira lista manifestaram uma opinião favorável enquanto o oposto se verificou no outro grupo. Este efeito explica que são os primeiros traços que lideram como devem ser compreendidos os seguintes